21.11.06

O amor é um lugar estranho?


Confesso que demorei até ver o filme Lost in Translation, uma embirração idiota em relação à realizadora Sofia Coppola sem qualquer justificação, fui vencido pelo tédio de curar uma gripe que me levou a ver e a rever todos os DVD´s que tinha na DVDteca, com alguma relutância coloquei o filme no leitor de DVD na esperança de adormecer rapidamente, o plano falhou! fiquei agarrado ao ecrã durante os 90 minutos, há muito tempo que não via um filme que vivesse da sua simplicidade.A vida tal qual ela é, isto é cinema na sua forma mais profunda, contar histórias que estão tão perto de nós.A solidão de noites em branco que rapidamente se transformam numa bela amizade, é este o principio para uma história de amor entre um homem de meia idade, estrela de cinema, e uma rapariga que ainda não se encontrou na vida, juntos procuram aquilo que todos nós procuramos, amor!
A minha injustiça para com a Sofia Coppola transformou-se em admiração por ter feito um filme back to the basics, o cinema é um lugar estranho!
Os actores conseguíram fazer-nos viver a sua história como se fosse nossa, sem efeitos especiais nem artimanhas de guião para nos atirar areia para os olhos.Um fantástico Bill Murray e uma maravilhosa Scarlett Johansson que se revela como uma actriz que faz dos silêncios uma forma de bem representar , parabéns , e mais não conto, para quem não viu, ficar Lost in Translation.
O amor é um lugar estranho!
Quanto à gripe...., já estou bem melhor obrigado.

1 comentário:

David Ricardo disse...

simples com belas imagens.
um belo filme e ao que parece também faz bem à gripe.