23.11.06

As Princesas do Povo


Não sou grande apreciador de comédias romanticas, aliás não suporto, se bem que não escapei ás pategadas clássicas como o Sete casamentos e um funeral para mim o melhor da triste saga dos anos 90 do Hugh Grant que ainda hoje se arrasta, enfim.
Mas não resisti a comprar uma comédia romântica dos anos 50, Férias em Roma, para além de ter como actriz principal a fabulosa Audrey Hepburn que se estreou neste filme com um Oscar, o realizador William Wyler era um selo de garantia, Ben Hur e Funny Girl são alguns dos seus grandes filmes, este Férias em Roma foi uma alegre surpresa, a história de uma princesa cansada de uma vida de regras protocolares que a asfixiavam e não a deixavam viver a sua idade, uma jovem princesa que foge para o centro de Roma durante uma visita oficial a Roma e se apaixona por um jornalista americano interpretado pelo Gregory Peck.
Enquanto mordia a minha maçã que é a minha fiel companheira nesta minha cruzada de uma alimentação saudável veio-me à cabeça a imagem das nossas Princesas europeias.
Não censuro a Princesa Diana se alguma vez se aventurou pelas ruas de Roma durante uma visita oficial na tentativa de escapar das garras do seu marido Carlos, talvez, talvez hoje se veja o Carlos a tentar fugir da sua Princesa Camila, ou a Leticia fartinha da posse de esfinge que o seu Príncipe teima em aparentar.
Confesso que a imagem da Camila a procurar o seu Príncipe me deprimiu, que dupla, Roma não merece, apeteceu-me de imediato um gelado, o amargo de boca da visão da cara da Camila Parker Bowles não se compadece com uma simples maçã Golden, fui salvo pelo sorriso da Audrey Hepburn e por uma Roma a preto e branco que me fez desejar que as Princesas europeias tivessem muito mais cor, vivam as Princesas do Povo.
Férias em Roma 1953
A não perder

1 comentário:

Orson Teles disse...

E não esquecer que há uma vespa a entrar no filme